No coração de Minas Gerais, o mercado de sorvetes está vivendo um momento de ouro. Em 2023, este setor doce e refrescante registrou um impressionante crescimento de 16%, sinalizando uma fase de prosperidade e inovação. Esse aumento não só destaca a resiliência do mercado frente aos desafios econômicos e sociais recentes, mas também a sua capacidade de se reinventar e capturar o interesse dos consumidores com novidades e tendências.

 

A Associação Brasileira do Sorvete e Outros Gelados Comestíveis (Abrasorvete) apresentou um panorama otimista, mostrando que a produção nacional alcançou 438 milhões de litros, um salto de 15% em relação ao ano anterior. Com mais de 7 mil empresas e cerca de 300 mil empregos gerados, o setor não apenas desempenha um papel vital na economia brasileira, mas também se mostra um campo fértil para inovações.

 

Em Minas Gerais, o cenário é especialmente promissor. O estado não só superou a média nacional de crescimento, mas também se posicionou como um líder em inovação dentro do setor. Diversificação de produtos, introdução de sabores inusitados e investimentos em infraestrutura foram alguns dos movimentos estratégicos que impulsionaram esse avanço.

 

Segundo Martin Eckhardt, presidente da Abrasorvete, o investimento em novas linhas de produto e um clima favorável foram determinantes para o excelente desempenho do setor. Além disso, após superar os desafios impostos pela pandemia, o setor tem como objetivo expandir ainda mais o consumo de sorvetes no país, projetando um crescimento significativo para os próximos anos.

 

Esse crescimento reflete não apenas uma recuperação econômica, mas uma verdadeira transformação no mercado de sorvetes. Com um olhar voltado para o futuro, Minas Gerais se destaca como um exemplo de como a inovação e a adaptabilidade podem levar a resultados extraordinários, prometendo um cenário ainda mais doce e próspero para os próximos anos.

 

Texto escrito com base nas informações do Diario do Comercio escrita por Leonardo Morais.